Muitas vezes, eu não preciso viajar para muito longe para encontrar novidades e viagens antológicas. Em São Paulo, a partir da Estação da Luz podemos pegar o trem “Expresso Turístico” e ir para Paranapiacaba.

O trajeto de trem que eu fiz é um trajeto de 48 quilômetros que passa pela região do ABC e segue na direção da Serra do Mar ( sentido praias ), atravessando a antiga rota do café.

Conhecer a cidade é uma experiência maravilhosa, passear pelas suas ruas estreitas, fotografar casarios de madeira e presenciar a neblina que surge no final das tardes renova as nossas energias.

A cidade é histórica e é gerida como distrito do município de Santo André.

Gosto muito desse casal, deixaram muito bem explicado no vídeo =D

Vídeo indicação para esse casal do blog Me leva de leve

A história de Paranapiacaba

Em meados do século XIX, mais precisamente em 1867, trabalhadores e projetistas britânicos chegaram no Brasil para começar a obra da estrada ferroviária paulista.

Na presença de outros estrangeiros e brasileiros, se instalaram na região perto da rota que ligava a região de Jundiaí ao Porto de Santos.

Até os dias atuais, é possível ver construções daquela época, como o Castelo construído em estilo vitoriano levantado no alto da colina. 

Também podemos visitar o maquinário do relógio da Estação Alto da Serra e o Clube União Lyra Serrano cuja edificação foi construída pelos ingleses em meio à Mata Atlântica.

Na região do distrito, há áreas de floresta da Mata Atlântica com trilhas e a primeira reserva biológica da América Latina. Para quem procura história, tranqüilidade e passeio de alta qualidade, visitar o distrito de Santo André é uma ótima dica.

10 coisas maravilhosas para conhecer na região

A seguir eu apresento dez dicas de curiosidades e lugares que o turista deve conhecer para marcar na memória a sua visita na região.

1 – Expresso Turístico

A primeira coisa que chama a atenção é a possibilidade de viajar para a região de trem. Como descrito no início do artigo, a viagem pode ser feita sozinho ou com amigos e é através de uma locomotiva a diesel numa composição de dois carros.

O ambiente da estação e da locomotiva remete aos anos 1950. A viagem tem duração de uma hora e meia.

O trem sai da estação da Luz às 8h30 da Estação da Luz aos domingos. O valor da passagem pode custar no mínimo 50,00 reais por pessoa e podem ser agendadas no site www.cptm.sp.gov.br

O passeio de trem é muito procurado nos finais de semana e nas férias. Também existe a possibilidade de ir de carro ou de ônibus consultando na rodoviária os horários.

2 – A Estação Alto da Serra

Essa estação foi restaurada e é onde a viagem de trem termina para o desembarque.

A estação possui um relógio cujas badaladas são históricas. O relógio foi erguido em 1898, e reproduz o estilo do londrino Big Ben. Na estação temos o Museu do Sistema Funicular, onde podemos ver trens da São Paulo Railway Company e vagões que foram usados no período imperial para transportar D. Pedro II. 

3 – Presença da arquitetura inglesa

Ao passear em Paranapiacaba, eu pude perceber a presença da arquitetura inglesa de forma muito marcante. São casas feitas em pinho de riga, madeira nobre originária do Leste Europeu.

A Igreja Bom Jesus de Paranapiacaba foi erguida em 1889 e hoje é palco de missas e da Festa do Padroeiro, essa é a festa mais antiga da região de Santo André, no estado de São Paulo.

No distrito sentimentos uma atmosfera britânica, o que nos convida a andar a pé pela cidadezinha.

4- Museu do Castelo

No alto de uma colina temo o Museu do Castelo, um casarão de feições vitorianas. Ele foi construído em 1897, para servir de moradia para o engenheiro chefe da vila, Frederic Mens.

Do alto da colina, o engenheiro controlava todo o funcionamento da ferrovia e o trabalho dos operários no pátio de manobras.

Atualmente, o castelo possui móveis antigos, fotos, documentos e um pequeno acervo de equipamentos ferroviários.

5 – Clube União Lyra Serrano

No ano de 1903, construíram os dois principais clubes da região, o Serrano Futebol Clube e o Lyra da Serra.

O Serrano Futebol Clube foi fundado para futebol e o segundo, às artes e cultura da cidade.

Em 1906, os dois clubes geraram o Clube União Lyra Serrano, sede de óperas, exibições de filmes, bailes de máscaras e peças de teatro.

A  sede do clube foi construída em madeira e é um local de eventos culturais, incluindo o Festival de Inverno e a Feira Literária.

Quando o Serrano ainda existia, é possível verificar os troféus e prêmios na época conquistados pelo Serrano Atlético Clube, time formado por trabalhadores ingleses e brasileiros que trabalhavam na ferrovia.

6 – O roteiro cultural de Paranapiacaba

No meio de tantas casas históricas, há um intenso roteiro cultural. Temos o Antigo Mercado construído no ano de 1897 para abrigar um empório de secos e molhados da região, e por algumas décadas funcionou como lanchonete.

Ficou anos fechado, mas depois de uma boa restauração pude presenciar um maravilhoso centro cultural que recebe exposições temporárias e atrações do Festival de Inverno.

No roteiro cultural encontramos a Casa Fox com uma construção caracterizada do século XIX, o local também recebe exposições e eventos.

7 – Artesanato

No momento de escolher lembrancinhas, eu encontrei um artesanato de alto nível. Na vila cultural encontramos os seguintes ateliês:

– Ateliê Residência Som da Árvore

Situado na avenida Antonio Olyntho, 480, encontramos miniaturas em madeira das casas características  da região e do relógio da estação.

–  Ateliê Residência Francisca

Situado na Rua da Estação, 393. Encontramos exposição e venda de bonecos feitos com matérias-primas simples como sementes, cordas e couro da região.

– loja do artista Kiko de Oliveira

Essa loja fica na Avenida Forde, 421. Além de loja de artesanato funciona como cafeteria. Vende quadros feitos em madeira.

8 – Festival do Cambuci

Sabemos que o Cambuci é um fruto típico da Mata Atlântica, apresenta sabor azedo. A fruta também concede seu nome a um dos festivais mais importantes de Paranapiacaba.

O festival é realizado nos fins de semana do mês de abril. O festival é cultural e gastronômico e abrange a oferta de galinha caipira, costela suína, tapioca e pudim, tudo preparado com o fruto Cambuci.

O festival é realizado anualmente e é um bom convite para conhecer os sabores da cidade, o suco de Cambuci e os atrativos culturais.

9 – Festival de Inverno

No meio do inverno, mesmo com névoa e chuvas acontece um dos principais festivais da cidade.

O evento atrai mais de 100 mil turistas ao ano. O festival apresenta atrações musicais, pinturas, esculturas e demais intervenções artísticas e literárias.

O Festival de Inverno transforma a cidade num museu ao céu aberto. Geralmente, o evento acontece no mês de julho.

10 – Trilhas e caminhadas em florestas

O turista pode também realizar caminhada em seis trilhas no Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba.

Para quem não está acostumado, a trilha mais fácil é a Trilha da Pontinha pela qual eu caminhei possuindo um quilômetro de extensão, seu percurso dura cerca de uma hora.

A trilha mais difícil é a Trilha do Mirante com 1 885 metros em uma estrada íngreme de pedra.

O carnaval da cidade

Se você não gosta de frio, pode visitar a região no verão e curtir o carnaval no mês de fevereiro.

Em Paranapiacaba, é possível presenciar a tradição dos antigos blocos de rua e dos bailes de máscaras durante os quatro dias de carnaval e pura folia.

Durante os quatro dias de folia temos o famoso Bloco de Rua Paranafolia, esse bloco é formado por moradores da vila e a Banda Caxambú. A Banda Lira foi fundada em 1918.

Conclusão

A viagem pode ser feita individualmente, em dupla, com amigos ou família. Caso o viajante não queira ir de trem ele pode ir de carro através da via Anchieta no sentido Riacho Grande, acessando a rodovia Índio Tibiriçá até o quilômetro quarenta e cinco.

Também é possível ir de ônibus na linha 40 da viação Ribeirão Pires no Terminal Rodoviário de Santo André.

Para ir de trem é possível pegar o Expresso Turístico Paranapiacaba, aos domingos. Ele parte da estação da Luz às 8h30. A venda da passagem é feita no guichê do metrô, próximo a saída para a Pinacoteca e Museu da Língua Portuguesa.

Portanto, é uma viagem acessível e de baixo custo que oferece bons momentos para o visitante que pretende conhecer novas experiências culturais e descansar numa cidade tranquila com muitos atrativos.

A região propicia também contato com a natureza, com o verde com áreas originais da Mata Atlântica, que pode ser acessada por caminhada e trilhas orientadas.

A hospedagem pode ser feita no Booking ou Airbnb na região e também oferecem preços acessíveis, somente em épocas de eventos e festival a procura e os preços aumentam.

A região fica próxima de São Paulo e para quem sai de outros estados do país ou de outros países, é possível chegar rapidamente na região e presenciar toda a atmosfera da arquitetura inglesa na região que marca a viagem de todos os viajantes. 

Uma boa pedida depois que voltar para São Paulo é ir ao Beco do Batman, lá é muito mas muito bom também!

Já que é para dar dicas irei soltar mais uma para você, aproveite e conheça o mercado Municipal de São Paulo ( famoso Mercadão ).

Bom é isso, fique com Deus e forte abraço!

x

Foi enviado para seu e-mail o e-book. Veja na caixa de Spam caso não tenha chego!

Pin It on Pinterest

Share This