Sabemos que as fotos de terror remetem aos filmes de terror mais famosos do cinema, principalmente nos anos 1980 e 1990. Esse estilo de filme perdeu o grande público nos últimos tempos, mas ainda encontra adeptos a partir de fotografias reais ou montadas na internet.

Inspirado nesse tema vamos falar da relação entre fotografia e cinema para ajudar os fãs de fotos e filmes de terror a entender a história entre ambos, lembrando que o gênero de fotos e filmes aterrorizantes surgiu entre os séculos XIX e XX.

Tem sido comum as pessoas buscarem fotos de aterrorizantes na internet como diversão e assinar serviços de streaming para assistir filmes desse gênero.

Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror

Fotos de terror para Festa

Mas, afinal, por que as pessoas procuram tanto por imagens desse tipo? Segundo Freud, pai da psicanálise, quando a pessoa se depara com imagens de monstros, de objetos escondidos e estranhos isso atiça os campos de agressividade, sexualidade e obscuridade de cada um.

Talvez, o vício nesse tipo de imagem pode ser explicada por um sentimento ou campo de visão emocional e mental que queira extrapolar os sentidos mais pesados presentes em seu inconsciente.

Porém, além das explicações psicanalíticas a busca por essas imagens pode gerar adrenalina e emoções desconhecidas nas pessoas.

Separei algumas makes de fotos de terror para usar em festas.

Fotos retiradas do pinterest

Emoção forte – Imagens de terror

Apesar da feiúra e do asco, a foto de terror cria uma atividade de passatempo capaz de produzir emoções fortes numa pessoa. São emoções fortes que também podem ser obtidas num passeio de montanha-russa, na prática de esportes radicais e num passeio de trem fantasma num parque temático.

As pessoas querem arrepiar os cabelos perante imagens horripilantes inesperadas.

O que o cinema tem a ver com isso?

Muito. Os filmes de terror foram um dos primeiros gêneros do cinema em todo o mundo.

Lembramos que a fotografia começou a ser inventada no início do século XIX, por Louis Daguerre, um inventor francês, mas, posteriormente, aperfeiçoada pelo seu amigo francês Nicéphore Niépce.

O cinema deu os seus primeiros passos no final do século XIX, mais notadamente no ano de 1895, a partir da invenção do cinematógrafo pelos irmãos Louis e Auguste Lumière.

Esse aparelho originou a sétima arte e era capaz de filmar, copiar e projetar ao mesmo tempo. Antes desse aparelho, outros aparelhos similares haviam surgido, incluindo um equipamento inventado por Thomas Edison.

Qual foi o primeiro filme de terror?

Seguindo a tendência da fotografia, as imagens de terror ganhariam as telonas em preto e branco da obra Le Manoir du diable (A Mansão do Diabo), um curto metragem de dois minutos do francês  Georges Méliès, lançado em 1896.

Esse curta metragem narra a história de um importante cavaleiro que entra na residência do diabo e ele é atacado por ilusões, a intenção da obra de dois minutos era apenas entreter as pessoas como em outras produções do mesmo cineasta, mas as imagens impactaram tanto os telespectadores que o curta se tornou a primeira produção de terror da história. Daí surgiria o gênero de filmes de terror atraindo um grande público.

O filme mais conhecido da época – Imagens de terror

Ainda no início do século XX, em 1910, lançariam um dos ícones do cinema moderno inspirado na literatura universal, o Frankenstein. Esse personagem apavoraria o grande público no decorrer dos tempos até os dias de hoje.

Em 1910, no primeiro curta que lançaria o personagem, a história narra em dezesseis minutos a vida de um jovem estudante de ciências que se interessa pelos mistérios da vida e da morte. Então resolve criar um ser humano juntando pedaços de cadáveres, e finalmente realiza o seu sonho.

Mas, de forma surpreendente, no lugar de uma pessoa, surge um um monstro que o aterroriza o tempo todo, o Frankenstein, cujo personagem existe até hoje até em desenhos animados.

O primeiro longa-metragem de terror – Imagens de terror

O primeiro longa-metragem desse gênero seria lançado em 1920, com o “O Gabinete do Doutor Caligari”. Na história eles conhecem Cesare, um homem sonâmbulo que diz a Alan que ele morrerá. No dia seguinte, o personagem Alan morre, fazendo com que Francis espione Cesare e entre no misterioso gabinete de Doutor Caligari.

Por que as pessoas gostam de fotos de Terror?

Diferente do cinema, as imagens de terror atraem adeptos desde meados do século XIX. Além de filmes, existem colecionadores de imagens inspiradas em filmes e em ensaios fotográficos.

No decorrer do século XX, o gênero também se fez presente nas histórias em quadrinhos norte-americanas, européias e brasileiras. A ilustração aterrorizante em quadrinhos e desenhos livres também foi uma forte tendência até os anos 1980, com atenção especial para a série “Cripta”.

Mas, entender o por quê das pessoas gostarem tanto de fotos de terror, atualmente devemos considerar o crescimento de livros, filmes e games deste gênero.

Quando falamos em “terror” falamos em gênero, conjunto de expressões e personagens arrepiantes que causam medo e asco.

Nos últimos anos, autores como Stephen King exploram o “terror psicológico” e menos explícito. Nas décadas anteriores, o terror psicológico já se fazia presente em filmes de suspense.

Gostar de fotos e demais produtos de terror ou horror está ligado às reações físicas e químicas das pessoas que consegue gerar repulsa, nojo e aflição.

Por outro lado, o terror psicológico, ou “horror psicológico” gerar o medo ou desconforto mental causados por alguma história. A exploração de histórias de cunho psicológico possui menos sangue e nojeira e mais clima, ambiente e fatores sugeridos explorando menos o lado sensorial.

O fascínio pelo terror é antigo

Antes da invenção da fotografia e do cinema, quando não tínhamos fotos de terror, o fascínio pelo horror e pelo nojento já se fazia presente através da literatura e da arte visual da época.

Os livros e as pinturas já exerciam o papel de atrair pessoas para esse tipo de expressividade.

Esses temas, de maneira teórica e ficcional foram abordados por pensadores e escritores como Aristóteles, Santo Agostinho, Thomas Hobbes, Martin Heidegger e Hannah Arendt (que abordou o terror totalitário), entre outros.

O fator da estranheza

Um dos passos iniciais do terror é a estranheza que provoca o medo. O tema relacionado ao “estranho” surge pela primeira vez no ano de 1906, introduzido pelo psiquiatra alemão Ernst Jentsch.

Ele compreendia o estranho a partir da nossa incerteza sobre um determinado objeto aparentemente inanimado que pode, de forma autônoma, se mover e criar personalidade.

Na literatura universal, a imagem do personagem autômato como causador do “estranhamento” é bem mais antiga.

Nos lembramos da boneca Olímpia, pela qual Nathanael, protagonista do conto O Homem da Areia apaixona-se perdidamente acreditando tratar-se de uma mulher real. Essa história de E.T.A Hoffmann e foi publicado pela primeira vez em 1817.

O personagem “Frankenstein” surge na literatura de Mary Shelley em 1818, seguindo pelo fator de estranheza e de repulsa.

Entendendo o medo

Ainda avaliando o horror psicológico que uma foto pode causar na pessoa, podemos nos referir ao “medo estético” gerado por uma imagem artística ou ficcional.

Esse medo estético aciona um medo real de nível físico e mental e dispara no cérebro uma ameaça real à nossa saúde. Além do conteúdo ficcional. O mesmo sentimento pode acontecer perante uma realidade apresentada pelos noticiários vespertinos de alguns canais de televisão.

Na atualidade

Atualmente, além de livros, ilustrações e filmes, o terror tem atraído internautas que gostam de assistir comerciais, curtas, séries e fotos selecionadas sobre esse gênero antigo.

Tem sido comum a publicação de imagens, fotos e print de filmes de terror para saciar a audiência que gosta de sentir adrenalina de diferentes tipos psicológicos e físicos.

A ideia dos sites é compartilhar imagens com pessoas que não resistem ao chamado das sombras, alguns pensamentos sobre o assunto. 

Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror

Conclusão

Portanto, segundo a psicanálise todos nós, em algum momento de nossas vidas, somos nossos próprios estrangeiros, nossos “unheimlich”.

O termo “unheimlich” se refere ao desconhecido com fortes condições de apavorar e assustar as pessoas. O fator desconhecido é muito explorado em filmes de terror e suspense.

Atualmente, a ficção de horror, nos oferece e nos coloca diante das fraturas do que é conhecido lá fora, lembra-nos de nossa própria condição aqui dentro como pessoas comuns, seres solitários, desamparados e angustiados.

Essas imagens criam lembranças que, para muitos adeptos, sempre será fascinante.

Esse artigo buscou apresentar uma explicação sucinta sobre as origens das fotos de terror e demais produtos culturais relacionados a este gênero.

O conteúdo talvez ajude a explicar o porquê dessas imagens alcançarem muita audiência na internet e nos demais tipos de conteúdos imagéticos, seja através de fotos, ilustrações e filmes que geram adeptos apesar do horror e do nojo que as imagens possam causar.

Atualmente, esse gênero possui bolhas de interesse e subgrupos que preferem o terror mais psicológico sem violência explícita.

Porém, o excesso de acesso desse tipo de gênero pode ser tema de estudos sobre o comportamento das pessoas que possuem vício em acessar fotos de terror. 

E você, qual cena de cinema ou foto de terror mais assustadora já viu em toda a sua vida? 

Summary
Fotos de terror para animar seu dia!
Article Name
Fotos de terror para animar seu dia!
Description
Sabemos que as fotos de terror remetem aos filmes de terror mais famosos do cinema, principalmente nos anos 1980 e 1990. As melhores estão aqui!
Author
Publisher Name
Estou na Viagem
Publisher Logo
x

Foi enviado para seu e-mail o e-book. Veja na caixa de Spam caso não tenha chego!

Pin It on Pinterest

Share This