Templo zu lai Cotia 10 coisas para se fazer –  São Paulo Sp

Templo zu lai Cotia 10 coisas para se fazer – São Paulo Sp

Quando nós viajamos, podemos aproveitar a oportunidade para renovar a nossa mente. Em Cotia, uma cidade vizinha de São Paulo, tive uma experiência única ao conhecer o Templo Zu Lai.

Esse local é considerado o maior santuário budista da América Latina, e o melhor é que a entrada é gratuita.

Além de atrair os seguidores da religião budista, o lugar atrai muitos turistas de diferentes estados do Brasil e do mundo, sendo um bom local para tirar lindas fotos.

Visitar o templo permite curtir um passeio leve e agradável a poucos quilômetros da capital paulista.

Templo Zu Lai

O templo situado em Cotia, São Paulo, foi inaugurado no ano de 2003.

Além de convidar as pessoas para a meditação e o autoconhecimento, o templo é lindo por fora e por dentro sendo construído sob a inspiração da arquitetura oriental budista.

Quando eu entrei no templo tive a sensação de estar em outro país, ou até mesmo no Japão. A seguir eu apresento as 10 coisas que podemos fazer e nos beneficiar ao visitar esse maravilhoso lugar.

1 – Ambiente sossegado

O templo está situado numa área com muito verde, sendo um lugar muito tranquilo. O ambiente interno do Templo Zu Lai proporciona sentimento de paz interior e muito sossego.

Os frequentadores que visitam o local, principalmente nos finais de semana, respeitam o clima de silêncio, esse silêncio é quebrado somente quando há realização de festas típicas relacionadas à cultura oriental.

Para quem procurar por um lugar bonito, calmo e de paz, visitar o templo em Cotia é uma boa dica.

2 – Fácil de chegar

Por estar situado na cidade de Cotia, o lugar para a visitação fica bastante perto e acessível. Perto da Rodovia Raposo Tavares, o templo fica a trinta quilômetros da capital.

Existe estacionamento gratuito para quem chega de carro.

Para quem optar pelo transporte público, é possível pegar o ônibus de excursão que parte da estação do metrô da Liberdade aos domingos, a partir das 8h.

O ônibus cobra 15,00 reais ida e volta.

3 – Oportunidade para conhecer uma nova religião

Para quem não é budista, ir até o templo permite conhecer uma nova religião.

O lugar é bom para quem é budista e conhece a função de cada canto do templo e para quem não é budista permite conhecer mais sobre uma religião e cultural oriental milenar que possui simbolismos.

4 – Estátuas de budas

As estátuas de budas podem ser vistas em diferentes partes do local. O Buda está presente na entrada, nas salas internas, nos jardins, e em demais áreas.

Dentro do Templo Zu Lai existe um pequeno museu que apresenta esculturas e explicações sobre a trajetória de Buda e dos conceitos de divindades do budismo.

5 – Meditação

O templo oferece salas internas próprias para a realização de meditação. Em tempos de correria e estresse o ato de meditar é muito importante para a saúde mental.

A prática de meditação acontece em horários marcados, e além das salas de meditação, essa prática também é realizada no salão principal que permite que as pessoas utilizem banquetas frente a uma enorme escultura de Buda e um belíssimo altar para fazer seu ritual de meditação.

6 – Parque anexo

O templo Zu Lai possui ao lado uma área verde com pequeno lago repleto de tartarugas. Nesse parque anexo há um extenso gramado onde as pessoas podem colocar uma toalha para deitar e descansar.

O parque verde anexo também pode ser usado para a meditação ao ar livre. É um ótima espaço verde para a família levar as crianças.

7 – Fazer fotos inesquecíveis

É permitido fazer bastante fotos nas áreas externas do templo e no parque verde, mas nas áreas internas existem restrições para a realização de imagens.

Os visitantes gostam de fazer selfies e fotos em grupos perante o prédio imponente e entre as esculturas de budas presentes no local.

A área do templo é ótima para fotografias de aniversário, casamento, formatura e passeio.

8 – Almoço vegetariano

O templo possui uma cafeteria e um refeitório onde o visitante pode escolher um cardápio com refeições vegetarianas aos sábados, domingos e feriados, no horário das 12h às 14h30.

O bufê simples varia de 30,00 a 35,00 reais e as crianças pagam 22,00 reais.

O restaurante serve pratos quentes e frios com tempero suave, todos preparados em uma cozinha visível.

Há no cardápio a oferta de pratos sadios e vegetarianos, destacando o tempurá de legumes (crocante e sequinho), o tofu cozido ao molho e o yakisoba vegetariano, sem falar no chá.

O visitante pode escolher sobremesas de frutas, vale lembrar que o restaurante prioriza o pagamento em dinheiro.

9 – Agenda cultural

Entre as atividades que podemos realizar no templo, existe uma intensa agenda cultural com atividades, cerimônias religiosas e festividades durante todo o ano.

O local também possui cursos pagos sobre tradições, orientais, religiosidade, meditação, ioga e tai chi chuan.

10 – Conhecimento

Visitar o local nos convida a criar a cultura do autoconhecimento, de ouvir o próprio silêncio.

Considerando a religião budista, o Templo Zu Lai é um templo que pertence aos muitos templos do Monastério Fo Guang Shan espalhados pelo mundo.

É inspirado no Budismo Maaiana, que se refere à natureza búdica. Os praticantes do Budismo Maaiana buscam os ensinamentos do Buda no cotidiano, advindo daí a denominação de Budismo Humanista.

O templo busca assumir a missão de propagar os princípios do Monastério Fo Guang Shan, divulgando o budismo e beneficiando a todos.

No templo, os praticantes e orientadores religiosos buscam propagar princípios do Monastério Fo Guang Shan, divulgando o budismo e beneficiando a todos, através de quatro instâncias básicas da vida: Educação, Cultura, Ação Social e Prática Religiosa.

Mesmo para quem segue outras religiões e doutrinas o local promete uma experiência inovadora e os funcionários do local estão disponíveis para perguntas e orientações.

Outros benefícios da viagem

Ao visitar o templo, um dos principais benefícios é a beleza do lugar. Quando eu entrei no templo me deparei com a grandiosidade do lugar.

Já na entrada, nos deparamos com estátuas de guerreiros feitas em pedra sabão. Cada estátua possui um significado. E também na entrada percebemos uma estátua de Buda sentado.

O sentimento de paz e o respeito ao silêncio são outros fatores que chamam atenção durante a visitação.

Numa de minhas idas ao templo, eu tive a oportunidade de participar de meditação orientada que acontece em diferentes horários.

Há um salão principal que também é usado para meditação e as banquetas externas onde as pessoas podem se sentar perante a uma enorme escultura de Buda e um belo altar para fazer seu próprio ritual.

Sentimento de paz e conhecimento cultural

O silêncio presente e o contato com a natureza renovam as nossas energias. Participar das festividades nos permite admirar o lugar e conhecer novas formas de pensamento através de palestras, cursos de meditação e da cultura budista.

No local interno há também uma biblioteca, museu de arte sacra e local para cerimônias.

Os cursos oferecem aprendizado do idioma chinês, técnicas de meditação, conhecimentos budistas e Tai chi chuan.

É importante acompanhar a agenda cultural do templo para acompanhar a realização dos cursos e das atividades.

Lembranças

Dentro do templo, o visitante pode comprar souvenirs, incensos, pratos, copos e demais itens que servem de lembrança e de presente.

A loja também vende livros e revistas, o itens não são baratos mas possuem boa qualidade. 

Mais dicas para os visitantes

Para visitar o Templo Zu Lai não é necessário pagar ingresso, mas o visitante deve levar dinheiro para a alimentação e para comprar lembranças, nem sempre eles aceitam cartão de crédito.

O lugar é bom para passar o dia com amigos e família. No parque anexo há o lago e também o amplo pátio do templo.

É importante respeitar as seguintes regras:

– Não é permitido trazer quaisquer bebidas e alimentos para o interior do templo, não são autorizados piqueniques;

– Não trazer animais de estimação;

– Não vir com roupas inadequadas (decotes, regatas e shorts);

– Não fotografar nem filmar atividades e interior das salas sem autorização prévia;

– Não fumar absolutamente em nenhum local do templo;

– Não pegar nada que não tenha sido oferecido;

– Não assumir posturas inadequadas nas dependências (deitar pelo pátio, debruçar-se nas muretas, estátuas e etc.);

– Não manifestar contatos íntimos (beijos, abraços, carícias e etc.);

– Não tocar nos instrumentos de darma;

– Não fazer barulho e evite aglomeração na porta da sala principal.

Conclusão

O lugar é acessível, oferece paz e tranquilidade para um passeio solitário, à dois ou em família. É perto da capital do estado de São Paulo e os valores gastos no passeio são acessíveis.

É indicado aproveitar o passeio para tirar fotos e aprender sobre novas culturas e religiões. 

17 Efeitos Fotográficos Mais Usados no Photoshop

17 Efeitos Fotográficos Mais Usados no Photoshop

Os efeitos para fotos são recursos criativos de fotografia utilizados por designers e artistas digitais que utilizam softwares de edição de imagens como o Adobe Photoshop. O programa ajuda a editar e transformar imagens com diferentes camada de efeitos.

O photoshop permite trabalhar com camadas na edição de fotos, panfletos, cartazes e demais tipos de manipulação.

No photoshop, os arquivos podem ser editados e salvos na extensão PSD e exportados em diferentes tipos de arquivos como GIF e JPG.

Efeitos para fotos

Utilizando o photoshop podemos realizar cada ação de arquivo PSD com recursos de aplicação de brilho, luz e cor que podem transformar uma imagem e gerar tratamento de alto nível.

A imagem pode ficar com textura e brilhos com aparências diferenciadas. O photoshop é um programa líder no segmento de programas de edição de imagens.

O photoshop pode ser usado para fotografias profissionais, para geração de imagens para web, criar layouts para vídeos e peças publicitárias.

Os filtros do photoshop

Na hora de aplicar efeitos para fotos, o programa é o mais indicado não somente pela infinidade de ferramentas, mas por ser o principal pioneiro na edição digital de imagens.

O photoshop é um software poderoso e versátil. Ele permite criar personalização de efeitos para fotos em todos os detalhes da fotografia.

Inicialmente, é possível utilizar os filtros prontos do próprio programa ou configurar a adição de novos filtros para criar diferentes níveis de aplicação de efeitos de cor, luz e brilho.

Os canais

Basicamente, há dois canais de cor para definir as imagens o RGB e CMYK. O RGB deve ser utilizado para imagens que serão usadas em telas (como em sites, blogs e aplicativos) e o CMYK para peças impressas.

O usuário ainda pode alterar a matiz, o contraste e a luminosidade. Com o uso, o designer ou usuário comum pode criar ótimas experiências e práticas para renovar a imagem de fotos novas e antigas.

Lembramos que o Photoshop aceita importar imagens a partir do scanner ou do carregamento de câmeras e celulares.

Os efeitos para fotos profissionais

Além dos efeitos para fotos comuns, é possível também tratar fotos profissionais como as de eventos (casamentos, aniversário, imprensa e publicidade) e para impressões de alta escala.

Nos trechos a seguir descrevemos os principais tipos de efeitos mais usados. Além dos efeitos tradicionais, é possível criar efeitos personalizados.

1 – Hand Drawn

O hand drawn referente ao photoshop effect action, permite criar um efeito que gera o estilo de uma imagem desenhada à mão gerada em pouco tempo.

Para alcançar esse efeito, é indicado utilizar pincel sobre as áreas da foto selecionadas para a aplicação do detalhe com que parece que foi desenhado no estilo a mão.

Depois que seleciona a área pintada é possível enxergar a área de dentro e de fora que se pretende aplicar o efeito. Fora da área detalhada terá um estilo de borda mais superficial, que mistura bem para chegar até o efeito visual.

O efeito fica bem dividido em camadas que permite personalização. Esse efeito pode ser realizado nas versões antigas do photoshop como o CS3 e CS4 e as novas versões CC.

2 – Efeito Lomo

Um dos efeitos mais usados é o “Lomo”. Esse filtro é muito usado para fotos online.

Esse efeito se refere às fotografias com as cores saturadas com borda escura nos cantos.

O objetivo desse efeito é gerar uma atenção maior na parte central da imagem.

3 – Efeito Low Poly

Efeito Low Poly
Efeito Low Poly site: https://www.photopro.com.br/tutoriais-gratis/criando-efeito-low-poly-no-photoshop/

É efeito para fotos é um dos mais populares. Refere-se a construída com triângulos de cor sólida, e lembra um modelo 3D com poucos polígonos.

Ele permite criar um ar artístico e minimalista muito melhor quando aplicado a imagens mais simples.

4 – Efeito Vintage

Efeito Vintage
Efeito Vintage

O principal objetivo é reproduzir aquela estética de fotos antigas, no estilo “retro” meio démodé. para produzir uma imagem com efeito vintage, você deve ressaltar os tons amarelos e verdes para criar a percepção de envelhecimento.

5 – Efeitos para fotos em aquarela

O efeito em aquarela é similar a um tipo de tinta que reproduz a incidência de uma tinta no papel ou tela. Os tons das cores devem ser suaves, com cores que sobrepõem e as bordas formam lindos padrões na imagem.

6 – Efeito Half Sépia

Esse efeito é muito usado com tons de cores em bege ou cor terra. Ajuda a criar fotos vintage também. Ao invés de retirar completamente a coloração das fotografias, a técnica introduz o “amarelado” suave.

7 – Efeito 3D

Efeitos para Fotos – Photoshop

Muito procurado por desenvolvedores de games e agências de publicidade digital, ela gera efeitos similares aos antigos óculos 3D dos anos 1990, com pigmentação vermelho e azul.

O efeito criar uma percepção retrô sobre a imagem criando um sentimento de saudosismo.

8 – Efeito preto e branco

Esse efeito é clássico e já foi utilizado durante décadas de forma manual. O photoshop permite criar esse efeito alterando os canais de cores na guia “imagem” e “edição” dentro do programa. Também pode ser obtida alterando  a saturação da imagem, na maioria das vezes, resulta em cinzas médios com pouco contraste.

9 – Efeito Cianotipia

O efeito cianotipia foi um dos primeiros efeitos alcançados nos processos de impressão fotográfica em papel.

No programa basta alterar usar o mapa de gradiente, gerando bons fotos profissionais.

10 – Efeito envelhecido

Já falamos que há várias formas de gerar foto envelhecida. É possível com a combinação das técnicas de preto e branco, com um leve overlay de vermelho, Sépia ou Half Sépia ou a adição de ruído ou efeito dusty.

Permite reproduzir efeitos obtidos com filmes antigos através do ajuste de cores e exposição. 

11 – Efeito soft colors

Muito usado para redes sociais, o efeito para fotos nesse estilo produz imagens etéreas. Esse efeito fica bom em imagens claras, já que é mais fácil manipular as cores.

É indicado diminuir contraste entre as cores claras, enquanto o contraste é mantido entre os pontos escuros da foto.

12 – Efeito ensolarado

A imagem precisa da luz do sol, o photoshop oferece ferramentas para tal resultado. É o uso de cores mais quentes e, muitas vezes, até mesmo que um tom alaranjado que se propaga por toda a imagem.

13 – Efeito desenho a lápis

Esse é um dos mais populares, e pode ser obtido a partir de muitas técnicas digitais. Podemos criar imagens que se parecem com retratos em grafite, contornos em preto e branco que se assemelham ao nanquim.

Mesmo sobre desenhos feito à mão é possível adicionar filtros que destaquem mais o desenho enfatizando o traço.

14 – Efeito de dupla exposição

Essa dupla exposição é uma técnica que consiste em combinar duas imagens. Essa técnica de efeito é muito usada para criação de capas de discos e livros, além de fotolivros de casamento, e produz imagens extremamente artísticas e refinadas solicitadas pelo cliente.

15 – Efeito alto contraste ou efeito safira

Refere-se um tipo de contraste exagerado e muito popular nas redes sociais. É indicado também para imagens profissionais publicáveis. Nesse efeito para fotos, as imagens ressaltam os tons de azul e roxo.

16 – Efeito dois tons

Esse efeito é similar ao de uma foto em preto e branco. Permite usar tons de cinza, assim as imagens contam com duas cores, normalmente em tons opostos.

17 – Efeito bokeh

Esse efeito bokeh é alcançado graças às luzes desfocadas do fundo da fotografia. Mas, boa parte dos designers usam esse efeito apenas como um detalhe a mais sobre a imagem.

Dica bônus: Efeito Polaroid

Quem não se lembra da câmera polaróide que imprimia as fotografias na hora.

Esse efeito reproduz o brilho, a textura e o tipo de coloração das imagens obtidas via polaróide. É possível até mesmo ajustar o contraste das imagens , principalmente, no canal verde, para alcançar um efeito de cor mais parecido com os originais da época

Como fazer Watercolor – Effect Photoshop Action

Efeitos para Fotos - Watercolor Effect Photoshop Action
Efeitos para Fotos – Watercolor Effect Photoshop Action

Também referida como aquarela do photoshop, esse efeito aplica aquarela de photoshop para suas fotos obterem um efeito artístico sobre as cores.

A imagem fica mais expressiva e gera um estilo mais personalizado na composição da imagem final. É importante lembrar sobre a possibilidade de usar as camadas resultantes que podem ser mais ajustadas com controle criativo completo.

É importante ter atenção com o controle e utilizar esse efeito em fotos de alta resolução com 1500 pixels para 3.500 pixels para obter melhores resultados.

Dessa forma é possível obter ricos detalhes através “watercolor”. A aquarela básica e a aquarela do watercolor lidam com a suavidade das cores e suas aplicações sobre a tela de fundo da camada.

Conclusão

Neste artigo apresentamos uma introdução sobre cada tipo de estilo de foto mais utilizados no software photoshop. Lembramos que esse programa é o líder de mercado. Há outros similares na área de ilustração como o Illustrator da própria Adobe e programas gratuitos como o Crita.

Porém, vise analisar cada tipo de camada empregada sobre o fundo branco ou sobre a própria fotografia evitando a geração de manchas de cor ou perda de qualidade da imagem final.

O que fazer em Monte Verde MG – 10 dicas

O que fazer em Monte Verde MG – 10 dicas

O que fazer em Monte Verde

Quem viaja sempre pergunta: o que fazer em Monte Verde, no estado de Minas Gerais? A cidade está localizada na Serra da Mantiqueira e faz divisa com o Estado de São Paulo

É considerado um dos destinos mais próximos para quem procura uma boa viagem de fim de semana ou feriados saindo de São Paulo.

A região oferece ótimas opções de passeio e descanso com tranquilidade.

Mas, o que fazer em Monte Verde?

A região de Monte Verde apresenta a mesma distância de Campos de Jordão, para quem viaja de São Paulo. A viagem leva três horas de duração.

Monte Verde é distrito cidade de Camanducaia, no estado de Minas Gerais e concilia o melhor de dois mundos, o urbano e campestre.

Inicialmente, o visitante pode curtir o frio da Serra da Mantiqueira similar da Serra Gaúcha.

Nas proximidades o visitante pode acessar outros destinos como Campos do Jordão,  Santo Antônio do Pinhal e São Bento do Sapucaí, além de outros lugares do estado de Minas Gerais.

1 – História de Monte Verde

A primeira dica é conhecer a história do lugar. A história deste distrito está ligada com a de Verner Grinberg, um homem importante da época.

Ele veio para o Brasil em 1913, foi um imigrante vindo da Letônia e foi morar na Colônia Varpa, próximo da cidade de Paraguaçu Paulista.

Depois que se casou com Emília Leismeir, Verner levou a esposa para passar a lua de mel em Campos de Jordão.

O casal adorou a Serra da Mantiqueira, e como Campos do Jordão estava muito movimentada, resolveram procurar outro destino de montanha.

Ele comprou uma fazenda em Campos do Jaguari, veio com a família e depois trouxe os amigos. A partir daí surgiria o distrito de Camanducaia.

2 – Passeio de família

Monte Verde
Monte Verde

O local é ótimo para casais e para famílias passarem o feriadão e o final de semana.

A região oferece tranquilidade e paz para quem precisa recarregar as energias entre as montanhas. A região também oferece restaurantes com comida típica e pousadas.

3 – Avenida Monte Verde

O que fazer em Monte Verde MG – 10 dicas
O que fazer em Monte Verde MG – 10 dicas – Essa foto não foi eu quem tirou
Frio em Monte Verde
Frio em Monte Verde

O principal atrativo da região é andar pela rua principal, a Avenida Monte Verde. A via concentra todos os restaurantes, lojas e serviços do distrito.

A rua é decorada com flores e com casas em estilo europeu. O bairro central se inspira em países europeus como a Suíça, Alemanha e Itália. Por isso a cidade de Monte Verde é conhecida como “Suíça Brasileira”.

É indicado conhecer a Galeria Suíça, o Shopping Center Celeiro, a Vila Europa e a Vila Germânica.

As lojas da rua principal vendem roupas,  souvenirs, chocolate, bebidas e cerveja artesanal.

4  – Passeios de Jeep

Na região, grande parte das ruas de Monte Verde é feita de terra batida, criando subidas e descidas e acesso às trilhas altas. Para queimar o estresse é importante contratar um passeio de jeep.

Para alugar um passeio de jeep é indicado procurar o serviço através de uma agência na própria Avenida Monte Verde. Dependendo do Jeep contratado há vários tipos de trilhas e tours para explorar.

5 – Andar de bike

Passear de bike pela cidade e pelas trilhas é uma boa opção para se ter contato com a natureza. O passeio de bike pode se concluído com um piquenique na vila da Companhia Melhoramentos.

O lugar é inspirador e calmo, gerando contato com a natureza e com os amigos.

Para quem não gosta de andar de bicicleta, a pessoa pode realizar o piquenique na região com segurança. Na avenida central do distrito é comum encontrar lojas que vendem pães, doces e outras guloseimas para o lanche ao ar livre.  

6 – Tour fotográfico

Durante os passeios a pé e através de Jeep, os visitantes pode incluir a realização de fotos aproveitando a visitação de pontos turísticos essenciais de Monte Verde.

Quando os passeios são feitos com a ajuda de guias que fazem as fotos e entregam na hora.

Monte Verde Viagem
Monte Verde Viagem

7 – Tour noturno

Além de curtir o dia, o turista pode aproveitar os passeios noturnos na região. Fazer a trilha de noite até a Pedra Redonda, e ainda tirar lindas fotos lá do alto é uma boa pedida.

Para cada tour existe uma distância e um guia em específico para consultar.

8 – Parque Verner Grinberg

O que fazer em Monte Verde MG – Parque Verner Grinberg
O que fazer em Monte Verde MG – Parque Verner Grinberg – Essa foto não foi eu quem tirou

Visitar o Parque Verner Grinberg é bom para curtir a natureza e as trilhas da região. Para quem gosta de trilhas é indicado visitar a APA Fernão Dias – Área de Proteção Ambiental, saindo da Caixa d’Água, ao final da Avenida das Montanhas.

9 – Explore mais as trilhas

A maioria das trilhas da região são sinalizadas, porém para não se confundir é aconselhável contratar um guia para caminhar com mais segurança.

Aproveite para tirar fotos inesquecíveis do passeio. Pedir a ajuda de um guia é fundamental, principalmente, para visita o Pico do Selado.

Atualmente, o caminho das trilhas são estruturadas e sinalizadas. Algumas  trilhas possuem mirantes com decks de madeira.

10 – Conheça a Pedra Redonda

A Pedra Redonda é uma das mais famosas e conhecidas na região de Monte Verde, oferecendo belos mirantes e o cume plano para observar toda a região lá do alto.

A pedra possui altitude de 1.990 metros, distância de 1,8 quilômetros e pode consumir uma hora e meia de caminhada na ida e na volta. Possui trechos íngremes em sua trilha e subida.

11 – Fabrica de chocolate

Para os amantes do chocolate, em Monte Verde temos 2 fábricas maravilhosas.

Uma das fabricas fica bem na entrada da cidade e outra mais para o fundo.

Recomendo essa mais ao fundo pois é mais barata e muito é boa!

Ah não se esquece de tomar esse chocolatinho da foto a baixo…. HUmmmm é uma maravilha puro e com Conhaque.

Fabrica de chocolate em Monte Verde
Fabrica de chocolate em Monte Verde

12 – Fabrica de cerveja

Fabrica de Cerveja
Fabrica de Cerveja

A Cervejaria Fritz foi criada em 1993 como hobby do mestre cervejeiro Jörg Franz Schwabe, que formou-se na Alemanha, onde começou a produzir cervejas artesanais. Seu currículo traz ainda mais de 20 anos de experiência na Brahma.

Meu e que delicia de lugar, fomos e estava 5 graus, muito frio, porém lá dentro bem quentinho e da para aproveitar bastante!

Bora beber um pouco?

Outros lugares

Outro lugar bacana de conhecer e aproveitar o que fazer em Monte Verde, é visitar a Pedra Partida. Essa pedra oferecer vista de 360 graus, de onde é possível ver até a Pedra do Baú, já no Estado de São Paulo.

Possui altitude de 2.046 metros, distância de um quilômetro e meio e consome três horas de caminhada na ida e volta.

Outra trilha importante é o Chapéu do Bispo, esta é mais fácil e curta de transitar, possui um trecho íngreme no início mas que fica fácil depois.

Também indicamos a trilha do Platô, que se refere a uma continuação do Chapéu do Bispo. O Platô oferece 1.900 metros de altura, e uma distância que consome duas horas na ida e volta.

Visite o Pico do Selado

Como já citado antes, entre as atrações e escolher o que fazer em Monte Verde. Esse pico fica mais ao sul de Minas Gerais. Exige caminhada longa e cansativa.

A área do Selado oferece altitude 2.082 metros, e uma distância de cinco horas de ida e volta.

Visite o Mirante do Aeroporto

Visitar esse mirante permite ver todos os picos de Monte Verde. Ele fica todos os picos de Monte Verde. Lá de cima é possível ver toda a vila, além das Pedras Partida, Redonda, Chapéu do Bispo e Pico do Selado.

O local do aeroporto é simples e é usado para voos particulares e aeronaves de pequeno porte. Algumas pessoas já disseram que discos voadores já pousaram no local, mas ninguém presenciou ainda.

Passeio de Tirolesa

Para quem gosta de aventura, é indicado visitar o Circuito de Aventura Fazenda Radical. O circuito oferece atividades desde o passeio de quadriciclo, escalada, arvorismo, arco e flecha, slackline e até uma tirolesa infantil, de 80 metros.

Também existe a Mega Tirolesa que é uma grande atração do lugar e a maior tirolesa de Monte Verde, formada por duas tirolesas que na ida são 450 metros e na volta mais 475 metros somando 925 metros em mais de 70 metros de altura.

Essa mega tirolesa é formada por dois cabos aéreos seguindo critérios da ABNT. O visitante deve pesar no mínimo quarenta quilos e usar tênis e roupas leves.

Conheça os Falcões

O que fazer em Monte Verde MG – Conheça os Falcões
O que fazer em Monte Verde MG – Conheça os Falcões – Essa foto não foi eu quem tirou

Na região existe uma escola de Falcoaria, que ensina a lidar e dominar os falcões (ave). Trata-se de uma arte milenar e uma linda interação entre o homem e a natureza.

Conclusão

Saber o que fazer em Monte Verde depende da escolha e do perfil de cada tipo de turista e visitante na região.

A região oferece contato com a natureza, edificações históricas e uma gastronomia local de alto nível.

Para quem gosta de aventura e passeio perto da natureza, é indicado procurar as trilhas, subidas de pedras ou até mesmo realizar um simples piquenique em família.

Os programas em amigos podem ser feitos nas montanhas ou nos melhores restaurantes da região.

Para acessar certos lugares mais altos ou mais distantes é indicado contratar guias locais que ajudarão a encontrar o caminho certo e realizar fotografias do passeio.

Uma boa dica é o passeio de Jeep nas áreas de ruas de terra e campestres da região.

Como indicado neste artigo, as pessoas encontrarão um local de descanso, passeio prazeroso e setor de serviços de qualidade.

Além de hotéis, o visitante pode se hospedar em pousadas que oferecem café da manhã e almoço.

Veja aqui os melhores hotéis em monte verde

A dica é levar roupa para o frio, pois mesmo no final do verão por ser região de serra costuma esfriar mais à noite. A viagem para Monte Verde é sempre inesquecível para quem procura tranquilidade ou aventura perto da natureza.

O que levar em uma viagem de 7 dias

O que levar em uma viagem de 7 dias

Talvez você esteja aqui pois está querendo saber o que levar com você em uma viagem.

Fiz algumas viagens e muitas delas sempre esquecia de algo. Talvez ela possa ser a dos seus sonhos e por causa de 1 item poderá arruinar tudo.

Isso me deixava super frustrado e com muita raiva… Isso já aconteceu com você?

E na última esqueci algo bem importante que me deixou bravo.

No final desta postagem te conto o que esqueci.

O que levar em uma viagem de 7 dias?

A ideia é dividir por categorias todos os itens, isso precisa ser levado a sério e claro sem se desesperar.

Crie uma lista em um papel e vai riscando cada um deles depois que colocar na mala.

Mas fazer a mala não precisa ser uma dor de cabeça, especialmente se você seguir as imperdíveis dicas de coisas essenciais para levar numa viagem.

1 – Absolutamente necessários: itens burocráticos

Passaporte só é necessário em voos internacionais, mas também pode ser levado como documento de identificação. 

Viajei apenas 1 vez para fora e foi na divisa do Brasil…. sim fui comprar muambas no Paraguai, não precisava do documento porém se você vai para fora, lembre-se de guardar em um lugar fácil de achar.

RG e CPF são os documentos básicos que devem ser levados. ( Não esqueça, são os primeiros itens a serem guardados )

ATENÇÃO: se perder ou tiver um desses documentos roubados, faça um boletim de ocorrência imediatamente.

2 – Malas: itens pessoais que não devem faltar

O que levar em uma viagem de 7 dias quando o assunto é relacionado a roupas, calçados, acessórios e itens de higiene pessoal?

Talvez você esteja aqui, pois quer saber o que levar em uma viagem, independente a quantidade de dias você tem que se organizar.

Começando pelas roupas, anote em seu checklist, o ideal é ter suas roupas limpas para todos esses dias.

Pense nas melhores combinações de roupas para seu dia-a-dia. No meu caso sou bem minimalista levo poucas roupas, mas sempre penso no que irei usar.

IMPORTANTE: Não esqueça das roupas íntimas extras para evitar problemas.

Você pode usar o mesmo calçado durante alguns dias, mas confira os passeios programados e veja se algum deles pode molhar ou sujar os seus sapatos.

Mas me diz pra que você vai levar tantos calçados?

Leve opções para outros eventos e não se esqueça de levar um chinelo para quando estiver descansando no hotel.

Levo no máximo 2 tênis e 1 chinelo, sendo que um dos tênis eu levo nos pés. =D

Produtos higiênicos:

Cuidado com produtos higiênicos, os hotéis, hostels, pousadas, oferecem itens básicos de higiene, mas é sempre bom ter a opção de usar produtos de sua preferência, sobretudo se você gosta bastante de um tipo ou marca específica.

Não se esqueça de anotar tudo que você gosta referente produtos higiênicos, como:

  • Creme;
  • Sabonete;
  • Shampoo e condicionador;
  • Entre outros.

Medicamentos:

Tenha sempre em sua mala um kit básico com produtos de farmácia, como curativos, desinfetantes para machucados, analgésicos, antialérgicos e pomadas.

Se você faz uso de algum medicamento contínuo, leve o suficiente para todos os dias e evite ter que procurar o remédio durante a estadia.

Viagens internacionais, alguns medicamentos são proibidos ou é necessário ter a receita médica!

Não é preciso prever ou imaginar toda e qualquer enfermidade possível, mas é bom ter pelo menos um saquinho com aqueles comprimidos e remedinhos básicos. 

Afinal de contas, ninguém merece ter uma dor de cabeça monstruosa, um febrão por causa do calor, ou um piriri estomacal – ou todas as alternativas anteriores – durante as férias ou a viagem dos sonhos. 

3 – Todos os objetos de valor na mala de mão!

É cada vez menos comum as companhias aéreas perderem malas hoje em dia, mas por que correr o risco? 

Fique seguro e guarde todos seus objetos de mais valor – da câmera digital ao seu anel de brilhante – na mala de mão.

4 – Atenção às restrições de bagagem

Você sabe qual é o peso permitido da bagagem no avião? 

Se não sabe o  peso permitido é 23kg! 

Está com dúvidas como pesar sua mala? É muito simples vai até uma farmácia e faça isso. Não fique com vergonha, muitas pessoas fazem isso. 

Você poderá gastar uma nota extra no aeroporto ou ter que abrir e rearrumar suas malas ali mesmo. Seria muito chato né?

5 – Não esqueça os adaptadores

Meu é a pior coisa do mundo você chegar em um lugar e seus cabos de celular, computador, etc, não funcionarem.

Lembra no início do postagem que um dos itens que me deixou bem frustrado? Foi o adaptador pois estava com 10% de bateria e precisava pedir um Uber imagine o desespero. Mas no final deu tudo certo.

Bom esses foram os itens que eu uso para fazer meus check list de viagem.

Porém estou viajando muito de carro por São Paulo, pois estou juntando dinheiro para comprar minha kombinha e montar um motor home.

Minha casinha terá vários itens, como geladeira, fogão, cama, bateria, placa solar, etc. Estou vendo tudo isso no site Auto-Doc.pt , eu gostei muito dele, mesmo sendo em euros sai mais barato do que comprar aqui o Brasil.   

Irei montar uma postagem mais completona para quem gosta de viajar de carro.

Viajar sempre é muito bom, então aproveite sua vida ao máximo e conquiste seus sonhos. 

Independente se vá demorar ou não tenha foco, que um dia você vai chegar lá sim!

Forte abraço fique com Deus e boa viagem!

Fotos de terror para animar seu dia!

Fotos de terror para animar seu dia!

Sabemos que as fotos de terror remetem aos filmes de terror mais famosos do cinema, principalmente nos anos 1980 e 1990. Esse estilo de filme perdeu o grande público nos últimos tempos, mas ainda encontra adeptos a partir de fotografias reais ou montadas na internet.

Inspirado nesse tema vamos falar da relação entre fotografia e cinema para ajudar os fãs de fotos e filmes de terror a entender a história entre ambos, lembrando que o gênero de fotos e filmes aterrorizantes surgiu entre os séculos XIX e XX.

Tem sido comum as pessoas buscarem fotos de aterrorizantes na internet como diversão e assinar serviços de streaming para assistir filmes desse gênero.

Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror

Fotos de terror para Festa

Mas, afinal, por que as pessoas procuram tanto por imagens desse tipo? Segundo Freud, pai da psicanálise, quando a pessoa se depara com imagens de monstros, de objetos escondidos e estranhos isso atiça os campos de agressividade, sexualidade e obscuridade de cada um.

Talvez, o vício nesse tipo de imagem pode ser explicada por um sentimento ou campo de visão emocional e mental que queira extrapolar os sentidos mais pesados presentes em seu inconsciente.

Porém, além das explicações psicanalíticas a busca por essas imagens pode gerar adrenalina e emoções desconhecidas nas pessoas.

Separei algumas makes de fotos de terror para usar em festas.

Fotos retiradas do pinterest

Emoção forte – Imagens de terror

Apesar da feiúra e do asco, a foto de terror cria uma atividade de passatempo capaz de produzir emoções fortes numa pessoa. São emoções fortes que também podem ser obtidas num passeio de montanha-russa, na prática de esportes radicais e num passeio de trem fantasma num parque temático.

As pessoas querem arrepiar os cabelos perante imagens horripilantes inesperadas.

O que o cinema tem a ver com isso?

Muito. Os filmes de terror foram um dos primeiros gêneros do cinema em todo o mundo.

Lembramos que a fotografia começou a ser inventada no início do século XIX, por Louis Daguerre, um inventor francês, mas, posteriormente, aperfeiçoada pelo seu amigo francês Nicéphore Niépce.

O cinema deu os seus primeiros passos no final do século XIX, mais notadamente no ano de 1895, a partir da invenção do cinematógrafo pelos irmãos Louis e Auguste Lumière.

Esse aparelho originou a sétima arte e era capaz de filmar, copiar e projetar ao mesmo tempo. Antes desse aparelho, outros aparelhos similares haviam surgido, incluindo um equipamento inventado por Thomas Edison.

Qual foi o primeiro filme de terror?

Seguindo a tendência da fotografia, as imagens de terror ganhariam as telonas em preto e branco da obra Le Manoir du diable (A Mansão do Diabo), um curto metragem de dois minutos do francês  Georges Méliès, lançado em 1896.

Esse curta metragem narra a história de um importante cavaleiro que entra na residência do diabo e ele é atacado por ilusões, a intenção da obra de dois minutos era apenas entreter as pessoas como em outras produções do mesmo cineasta, mas as imagens impactaram tanto os telespectadores que o curta se tornou a primeira produção de terror da história. Daí surgiria o gênero de filmes de terror atraindo um grande público.

O filme mais conhecido da época – Imagens de terror

Ainda no início do século XX, em 1910, lançariam um dos ícones do cinema moderno inspirado na literatura universal, o Frankenstein. Esse personagem apavoraria o grande público no decorrer dos tempos até os dias de hoje.

Em 1910, no primeiro curta que lançaria o personagem, a história narra em dezesseis minutos a vida de um jovem estudante de ciências que se interessa pelos mistérios da vida e da morte. Então resolve criar um ser humano juntando pedaços de cadáveres, e finalmente realiza o seu sonho.

Mas, de forma surpreendente, no lugar de uma pessoa, surge um um monstro que o aterroriza o tempo todo, o Frankenstein, cujo personagem existe até hoje até em desenhos animados.

O primeiro longa-metragem de terror – Imagens de terror

O primeiro longa-metragem desse gênero seria lançado em 1920, com o “O Gabinete do Doutor Caligari”. Na história eles conhecem Cesare, um homem sonâmbulo que diz a Alan que ele morrerá. No dia seguinte, o personagem Alan morre, fazendo com que Francis espione Cesare e entre no misterioso gabinete de Doutor Caligari.

Por que as pessoas gostam de fotos de Terror?

Diferente do cinema, as imagens de terror atraem adeptos desde meados do século XIX. Além de filmes, existem colecionadores de imagens inspiradas em filmes e em ensaios fotográficos.

No decorrer do século XX, o gênero também se fez presente nas histórias em quadrinhos norte-americanas, européias e brasileiras. A ilustração aterrorizante em quadrinhos e desenhos livres também foi uma forte tendência até os anos 1980, com atenção especial para a série “Cripta”.

Mas, entender o por quê das pessoas gostarem tanto de fotos de terror, atualmente devemos considerar o crescimento de livros, filmes e games deste gênero.

Quando falamos em “terror” falamos em gênero, conjunto de expressões e personagens arrepiantes que causam medo e asco.

Nos últimos anos, autores como Stephen King exploram o “terror psicológico” e menos explícito. Nas décadas anteriores, o terror psicológico já se fazia presente em filmes de suspense.

Gostar de fotos e demais produtos de terror ou horror está ligado às reações físicas e químicas das pessoas que consegue gerar repulsa, nojo e aflição.

Por outro lado, o terror psicológico, ou “horror psicológico” gerar o medo ou desconforto mental causados por alguma história. A exploração de histórias de cunho psicológico possui menos sangue e nojeira e mais clima, ambiente e fatores sugeridos explorando menos o lado sensorial.

O fascínio pelo terror é antigo

Antes da invenção da fotografia e do cinema, quando não tínhamos fotos de terror, o fascínio pelo horror e pelo nojento já se fazia presente através da literatura e da arte visual da época.

Os livros e as pinturas já exerciam o papel de atrair pessoas para esse tipo de expressividade.

Esses temas, de maneira teórica e ficcional foram abordados por pensadores e escritores como Aristóteles, Santo Agostinho, Thomas Hobbes, Martin Heidegger e Hannah Arendt (que abordou o terror totalitário), entre outros.

O fator da estranheza

Um dos passos iniciais do terror é a estranheza que provoca o medo. O tema relacionado ao “estranho” surge pela primeira vez no ano de 1906, introduzido pelo psiquiatra alemão Ernst Jentsch.

Ele compreendia o estranho a partir da nossa incerteza sobre um determinado objeto aparentemente inanimado que pode, de forma autônoma, se mover e criar personalidade.

Na literatura universal, a imagem do personagem autômato como causador do “estranhamento” é bem mais antiga.

Nos lembramos da boneca Olímpia, pela qual Nathanael, protagonista do conto O Homem da Areia apaixona-se perdidamente acreditando tratar-se de uma mulher real. Essa história de E.T.A Hoffmann e foi publicado pela primeira vez em 1817.

O personagem “Frankenstein” surge na literatura de Mary Shelley em 1818, seguindo pelo fator de estranheza e de repulsa.

Entendendo o medo

Ainda avaliando o horror psicológico que uma foto pode causar na pessoa, podemos nos referir ao “medo estético” gerado por uma imagem artística ou ficcional.

Esse medo estético aciona um medo real de nível físico e mental e dispara no cérebro uma ameaça real à nossa saúde. Além do conteúdo ficcional. O mesmo sentimento pode acontecer perante uma realidade apresentada pelos noticiários vespertinos de alguns canais de televisão.

Na atualidade

Atualmente, além de livros, ilustrações e filmes, o terror tem atraído internautas que gostam de assistir comerciais, curtas, séries e fotos selecionadas sobre esse gênero antigo.

Tem sido comum a publicação de imagens, fotos e print de filmes de terror para saciar a audiência que gosta de sentir adrenalina de diferentes tipos psicológicos e físicos.

A ideia dos sites é compartilhar imagens com pessoas que não resistem ao chamado das sombras, alguns pensamentos sobre o assunto. 

Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Imagens de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror
Fotos de terror

Conclusão

Portanto, segundo a psicanálise todos nós, em algum momento de nossas vidas, somos nossos próprios estrangeiros, nossos “unheimlich”.

O termo “unheimlich” se refere ao desconhecido com fortes condições de apavorar e assustar as pessoas. O fator desconhecido é muito explorado em filmes de terror e suspense.

Atualmente, a ficção de horror, nos oferece e nos coloca diante das fraturas do que é conhecido lá fora, lembra-nos de nossa própria condição aqui dentro como pessoas comuns, seres solitários, desamparados e angustiados.

Essas imagens criam lembranças que, para muitos adeptos, sempre será fascinante.

Esse artigo buscou apresentar uma explicação sucinta sobre as origens das fotos de terror e demais produtos culturais relacionados a este gênero.

O conteúdo talvez ajude a explicar o porquê dessas imagens alcançarem muita audiência na internet e nos demais tipos de conteúdos imagéticos, seja através de fotos, ilustrações e filmes que geram adeptos apesar do horror e do nojo que as imagens possam causar.

Atualmente, esse gênero possui bolhas de interesse e subgrupos que preferem o terror mais psicológico sem violência explícita.

Porém, o excesso de acesso desse tipo de gênero pode ser tema de estudos sobre o comportamento das pessoas que possuem vício em acessar fotos de terror. 

E você, qual cena de cinema ou foto de terror mais assustadora já viu em toda a sua vida? 

x

Foi enviado para seu e-mail o e-book. Veja na caixa de Spam caso não tenha chego!

Pin It on Pinterest